Dia Internacional da Mulher

Hoje dia 8 de março, é o Dia Internacional da Mulher, que teve sua origem nas manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, e contra a entrada da Rússia czarista na Primeira Guerra Mundial. Pra homenagear as mulheres nesse dia de tremenda importância, separei minhas 10 personagens femininas favoritas do cinema e destaquei as suas principais características, e como cada uma representou nas telinhas o papel da mulher, de diferentes formas. Espero que gostem!

Audrey Hepburn dá vida a eterna Holy Golightly, no filme “Bonequinha de Luxo”, acompanhante de luxo que possui o sonho de se tornar uma grande atriz de Hollywood, sendo o motivo pela qual mudou-se para a cidade de New York. Extremamente delicada e doce, a atriz explora ao mesmo tempo o lado selvagem da personagem com grande toque de feminilidade, passando longe do vulgar. A personagem é libertadora e incansavelmente ambiciosa pelo mais brilhante diamante. Carismática e bem divertida, Holy é uma mulher forte que conserva inocência no meio da futilidade que rodeia partes do seu cotidiano. Imortalizada, a personagem de Audrey se tornou ícone de personalidade e moda, influenciando as mulheres do inicio da década 60 até os dias de hoje.
Em “O Diabo Veste Prada”, Anne Hathaway interpreta a dedicada e esforçada jornalista de moda, Andrea . No decorrer do longa a moça é submetida as mais diversas dificuldades e empecilhos, que fariam qualquer um desistir, mas com grande foco e força de vontade, a garota investe em suas habilidades sociais para contornar a situação, não importando passar por mudanças tanto no visual quanto intelectual, Andrea não abaixa a cabeça e com garra luta para chegar a onde quer.
“Legalmente Loira”, filme estrelado por Reese Witherspoon, nos presenteia com indiscutivelmente vigorosa Elle Woods. Por ser loira e possuir uma maneira mais “rosa” de ver o mundo, ela é subestimada ao extremo e sofre facilmente preconceito quando decide fazer Direto. Elle demonstra total confiança em si e procura justiça, amor e o respeito pela condição de mulher, tentando acabar de vez com a martirização das loiras, que majoritariamente são descritas como ignorantes e fúteis. Investindo no próprio esforço ela desenvolve um genuíno interesse pela faculdade e se torna uma das melhores advogadas formadas pela instituição e prova que esteriótipos nem sempre se confirmam e pessoas são muito mais do que suas aparências.
Rose é interpretada pela atriz Kate Winslet, e ambientada no filme de grande sucesso, Titanic. Noiva de um poderosa magnata, mesmo infeliz com sua situação atual, nunca deixou de acreditar no verdadeiro amor, sendo uma declarada clássica romântica e vivencia uma versão moderna do amor proibido entre Romeu e Julieta. A personagem possui um coração aberto e deseja explorar um mundo de aventura, porém sente que isso não vai acontecer, talvez pressentindo o rumo que sua vida tomaria. Rose é forte quando precisa ser, se impõe e em meio de grandes tragédias possuí clareza do que precisa fazer.
Assim como Andrea, Miranda Priestly também é fruto do filme “O Diabo Veste Prada” e é interpretada pela conterrânea Meryl StreepSendo uma famosa editora-chefe da maior revista sobre moda do mundo, ela esbanja riqueza e exigência, e acredita que  gostar de moda e ter estilo é essencial para trabalhar em uma revista de tal importância. Tentando de tudo para manter o status de sua revista, ela exige que seus empregados trabalhem o máximo e de maneira simples vira o grande terror da empresa. Miranda auto afirma que é uma mulher forte e tem capacidade de sobra, para exercer e ultrapassar qualquer dificuldade. Priorizando seu trabalho, com o tempo demostra suas fragilidades como qualquer ser humano. Mas não se engane, será preciso muito mais do que disposição para tentar derrubar a editora-chefe.
Satine é interpretada pela bela Nicole Kidman, no filme Moulin Rouge. Dançarina de cabaré, não atoa que é conhecida como a legendária “Sparkling Diamond”. Com fácil destaque, Satine esbanja beleza através da representação feminina aliada da sexualidade e com sua doce voz, se entrega sem medo a uma ardente paixão que desencadeia os mais diversos sentimentos, assim como consequências. Rodeada pela profunda quantidade trágica de verdade, a personagem instiga no telespectador a afirmação da liberdade e do amor.
Judi Dench, interpreta Philomena, uma forte mulher que é obrigada a conviver todos os dias de sua vida com um decisão da juventude.  Após engravidar quando jovem, seu filho lhe foi arrancado, ainda pequeno, quando ela vivia internada num convento, que era o destino das moças que, como ela, engravidavam fora do casamento e eram abandonadas pelas famílias. Após 50 anos, a enfermeira aposentada decide procurar poo filho, e mesmo com medo de receber as mais diversas respostas, não desiste de sua busca. Uma mulher, que precisa reviver suas mais diversas dores e relembrar das atrocidades que passará, se mantém resistente e capaz de realizar seu maior sonho.
A atriz Rousamund Pike dá vida a calculista e fria Amy Dunne. Apensar de apresentar características de uma socipota, a personagem é a representação de uma mulher fruto da pressão do casamento, por parte de uma sociedade aristocráta e exigente. Amy torna a mulher em algo extremante forte e blindado, tornando-se capaz de conduzir todo o curso da situação, explorando com vigor sua visão do que é realmente ser  uma “garota exemplar”.

Rebecca Bloomwood, ou simplesmente Becky Bloom, é uma jornalista financeira interpretada por Isla Fisher, no filme “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”. Ironicamente a mesma se vê abarrotada de dívidas e mesmo assim não consegue deixar de comprar alguma peça exclusiva da última coleção. Se enrolando até o pescoço, Becky enxerga que sua vida não está onde queria e muito menos possui o controle dela e decidi ser forte e lutar por isso. Reposicionando tudo e todos ao seu redor, concilia seu trabalho, sua vida amorosa, sua situação financeira e sua paixão/fissuração por compras e encontra uma maneira de ser a mulher independente que tanto sonhará.


 “Os Homens Preferem as Loiras” é estrelado por talvez a mulher mais simbólica da história do cinema, Marilyn Monroena qual interpreta Lorelei Lee, uma performer e showgirl. Este foi o primeiro papel de estrela de Marilyn. Lorelei demonstra ser aparentemente burra, mas que no entanto demonstrava uma esperta paixão por diamantes. Ela primeiramente tem a percepção de que somente atraindo um marido rico, a mulher da década de 50 poderia ter sucesso economicamente. Com o tempo percebe que uma mulher é bem capaz de sustentar si própria e deve escutar sim seu coração, mas nunca ignorando o que seu cérebro tem a dizer, pois pode evitar que se apaixone por qualquer um. Tudo passa para ela, até a beleza, mas diamantes são para sempre.
 
Na faculdade (mais precisamente no meu estágio, no portal da mesma, que ainda não contei pra vocês Hahaha), participei de um mini-programa de rádio sobre essa data importante, juntamente com duas amigas de sala, Yasmin e Lydia. Nele falamos mais um pouquinho sobre a mulher no cinema, destacando outros aspectos também. Vocês podem conferir clicando abaixo: 
 
A mulher é essencial no cotidiano do mundo e deve ser valorizada todos os dias, com seu devido respeito e gratidão, por todo trabalho e contribuição já gerado pelo gênero. Que o dia internacional da mulher tenha seus pensamentos ideológicos postos em prática todos os dias. 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: